“Vítimas e agressores: as duas faces da mesma moeda” em debate na CIM do Tâmega e Sousa

23/06/2022 18:57

Realizou-se, esta quarta-feira, no Auditório Municipal de Castelo de Paiva, o I Seminário da Unidas – Rede Intermunicipal de Apoio à Vítima do Douro, Tâmega e Sousa, uma rede constituída por 11 estruturas de atendimento a vítimas de violência doméstica e que é coordenada pela Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa. Do distrito de Viseu, os concelhos de Cinfães e Resende fazem parte da CIM do Tâmega e Sousa. 

Subordinado ao tema “Vítimas e agressores: as duas faces da mesma moeda”, em debate esteve a intervenção no quadro da violência doméstica de uma forma holística, analisando as duas perspetivas do fenómeno – vítima e agressor.

A Secretária de Estado da Igualdade e Migrações, Isabel Almeida Rodrigues, que presidiu à sessão de abertura do seminário, destacou a necessidade de ainda ser necessário haver este tipo de debates, “porque estamos a falar de transformações que têm de ocorrer ao nível das mentalidades e das representações sociais e que, pela sua natureza, são transformações muito difíceis de implementar”.

Em anexo remetemos mais informação, bem como o estudo de “Caracterização da violência doméstica no Douro, Tâmega e Sousa: compreender para intervir”, desenvolvido pela CIM do Tâmega e Sousa.

De acordo com o estudo de “Caracterização da violência doméstica no Douro, Tâmega e Sousa: compreender para intervir”, desenvolvido pela CIM do Tâmega e Sousa, a caracterização do perfil da vítima e do(a) agressor(a), bem como das dinâmicas de violência doméstica reportadas no território do Tâmega e Sousa, surge como sendo similar àquele traçado a nível nacional. 

Na maioria das situações (72%), a vítima e o(a) agressor têm uma relação de conjugalidade ou análoga. Outras conclusões destacam que a maioria das vítimas é do sexo feminino (91%), com idade média de 44,25 anos, e que dois terços das vítimas possuem, ao nível das habilitações literárias, o 3º ciclo ou inferior. Na região do Tâmega e Sousa, 37% das vítimas do território estão desempregadas e apenas 32% estão empregadas. 

Relativamente à caracterização do(a) agressor(a), este é maioritariamente do sexo masculino (90%), com uma idade média de 46,41 anos. 44% dos(as) agressores(as) são casados(a), a maioria está empregado(a) (57%) e 25% está desempregado(a). 

Ao nível das dependências por parte do(a) agressor(a) encontra-se na região do Tâmega e Sousa, tal como apontavam os resultados nacionais, uma percentagem de cerca de 30% (mais concretamente 36%) de indivíduos com dependência alcoólica, 5% de indivíduos com consumo de outros estupefacientes e ainda 7% de indivíduos com dependência alcoólica e de outros estupefacientes. 

O tipo de violência mais reportado é a violência psicológica, presente na maioria dos casos (95%), seguida da violência física, presente em 54% das situações. Relativamente ao local de ocorrência dos episódios de violência, os resultados são igualmente similares, ocorrendo na maioria (67%) na residência comum da vítima e do(a) agressor(a) e em 17% dos casos na residência da vítima. 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.