Viseense Mariano Alves é o novo Comandante do Corpo de Fuzileiros

16/07/2021 18:28

No ano em que se celebra os 400 anos da criação da Armada Real da Coroa de Portugal, que daria origem aos Fuzileiros, o Corpo de Fuzileiros tem, pela primeira vez, no comando, um oficial oriundo dos cursos tradicionais da Escola Naval da classe de Fuzileiro.

A cerimónia de entrega de comando realizou-se, esta quarta-feira, no Museu do Fuzileiro na Escola de Fuzileiros e foi presidida pelo Comandante Naval, vice-almirante Alberto Silvestre Correia.

O capitão-de-mar-e-guerra, Artur José Figueiredo Mariano Alves, nasceu em Viseu a 18 de outubro de 1966. Ingressou na Escola Naval em outubro de 1985, tendo concluído a licenciatura em Ciências Militares Navais – Ramo de Fuzileiros em setembro de 1990.

Promovido a guarda-marinha, iniciou a sua carreira operacional como Comandante do Pelotão Anticarro. Em 1991 ingressou no Destacamento de Ações Especiais onde serviu durante cerca de 10 anos, cinco dos quais como Imediato e quatro como Comandante.

Em finais de 2002 comandou a Unidade de Meios de Desembarque (UMD), sendo posteriormente indigitado para desempenhar funções de Chefe de operações e planos da Divisão de Operações do Estado-Maior da Armada.

Em setembro de 2006 foi nomeado para o cargo de Force Potection Staff Officer, na Divisão de Planeamento do Quartel-General da NATO em Nápoles (CC-Mar Naples), onde foi responsável no âmbito do Core Planning Team (CPT) em diversas áreas, nomeadamente Operações Anfíbias, Operações Especiais, Pirataria e Terrorismo, contribuindo para o planeamento das operações ALLIED PROVIDER, ALLIED PROTECTO e ACTIVE ENDEAVOUR. Durante comissão da NATO foi destacado para o Afeganistão (ISAF XI) integrando o 1º SOCCE (Special Operations Command and Control Element), onde chefiou o SOCE East (Speail Operation Coordination Element na região Leste em Bagram).

Em 2009 regressou à Marinha e aos Fuzileiros e comandou o Batalhão de Fuzileiros Nº2 (BF2), até julho de 2012. A esta função somava-se o cargo de Comandante do Batalhão Ligeiro de Desembarque (BLD) que participou em diversos exercícios nacionais e internacionais e esteve ainda envolvido nas operações ”Mar Calmo”, de ”apoio ao aluvião da Madeira” e ”Manatim” e nas Forças Nacionais Destacadas para o Afeganistão. 

Desempenhou em seguida funções como Chefe do Estado-Maior do Quartel-General de Operações Especiais e mais tarde como Diretor Técnico do Projeto 5 no âmbito da Cooperação Técnico Militar com Cabo Verde.

Foi promovido ao atual posto a 22 de abril de 2015. Entre fevereiro de 2016 e setembro de 2019 foi nomeado pelo Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas (CEMGFA) como Chefe da Célula de Operações Especiais e Comandante da Componente de Operações Especiais Nacional no Comando Conjunto para as Operações Militares do Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA).

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *