Teatro Viriato com programação remota para o mês de abril

31/03/2020 19:13

A programação do Teatro Viriato para o mês de abril vai continuar a ser feita de forma remota para contrariar o isolamento. Já amanha, dia 1 de abril, será lançado o segundo episódio do podcast Boca a Boca, pelas 15h00, através das plataformas digitais do teatro.

Para marcar o Dia Internacional do Livro Infantil, o Teatro Viriato, em parceria com a Boca – Palavras que nos alimentam, estreia entre 2 e 8 de abril, a apresentação de excertos dos audiolivros Boca Júnior. “Acreditamos que a leitura autónoma e a escuta de um texto por voz alheia (como no Teatro) são duas realidades que não se excluem. E que, para quem não tem hábitos de leitura, um bom audiolivro pode ser a porta de entrada nos livros e na literatura. Na realidade, o estímulo provocado por um audiolivro pode ir desde a aquisição de vocabulário passando pelo treino da imaginação”, explica Oriana Alves, da editora Boca – Palavras que alimentam. Diariamente, às 11h00, o Teatro Viriato partilhará um dos excertos nas suas plataformas digitais.

Depois de um consultório literário dedicado à poesia e de outro dedicado aos mais novos, o festival telefónico do Teatro Viriato e da Prado Ruminante continua, desta vez, com a estreia do Consultório Turístico: Viaje lá fora, cá dentro, decorre nos dias 10 e 11 de abril.
Na companhia de António Poppe, Célia Fechas, Mónica Coteriano, Anton Skrzypiciel, Leonor Barata, Janaína Leite, Changuito, Rogério Nuno Costa, Thiago Arrais, Henrique Amoedo, Reginaldo Pujol Filho, entre outros, cada participante poderá passear pelas cidades dos cinco continentes e de dois planetas sem sair de casa. Recorrendo a poemas ou canções, passeios à beira-mar ou descrições detalhadas de lugares perdidos, sempre partilhadas por telefone, com ou sem imagem, os artistas convidados dão-nos a conhecer os seus quotidianos e os sítios que habitam. Mais informação em breve no site do Teatro Viriato.

Desde o dia 12 de março que o Teatro Viriato tem as suas portas fechadas, mas nem por isso tem deixado de se envolver com a comunidade com uma “programação em transformação, e em proximidade com os artistas, os seus anseios e as suas respostas ao mundo exterior, em permanente ebulição. Programação que acompanha a calendarização original e tenta criar espaços alternativos de apresentação dos artistas que estavam programados, por um lado, e de criar espaços para projetos que se adaptam a estes novos tempos por outro”, justifica a diretora artística do Teatro Viriato, Patrícia Portela.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *