Qualidade da água das praias diminuiu este ano

17/08/2021 10:28

As praia em Portugal registaram, este ano, um decréscimo de qualidade em relação a 2020, segundo indica uma avaliação da Associação Ambientalista Zero, realçando que 20 já estiveram interditas e 45 com banho desaconselhado ou proibido.

Esta avaliação tem por base resultados oficiais do Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos e em comparação com o ano passado. Atualmente existem 643 águas balneares.

No decorrer deste verão o desaconselhamento ou proibição de banhos afetou 45 praias, mais 20 do que em 2020, devido a resultados microbiológicos com valores acima dos limites. E até 15 de agosto tinham sido interditadas 20 praias (oito interiores e 12 costeiras), mais cinco do que em igual período do ano passado.

De destacar a interdição de uma no interior com contaminação microbiológica associada a valores excessivos de bactérias que provocam infeções (Escherichia coli e Enterococus intestinais), além de outras sete também no interior com salmonella, outra bactéria que também provoca infeções no ser humano.

Quanto às 12 praias costeiras, a Associação Zero refere que duas foram interditadas por motivo de obras de requalificação e uma por ter rebentado uma conduta de esgotos. O motivo para as restantes serem interditadas foi também a ultrapassagem de valores limites de pelo menos uma bactéria.

«A Zero considera que continuam a existir falhas de informação no sítio internet da Agência Portuguesa do Ambiente dado que não se esclarece devidamente os motivos de interdição das zonas balneares e os procedimentos por parte dos Delegados Regionais de Saúde, existindo situações de contaminação semelhantes onde nuns casos a praia foi interditada até realização de novas análises e noutros não», afirma a associação no comunicado.

Da análise, a associação nota que houve mais praias interditadas no interior (mais suscetíveis a descargas), e que muitas das zonas balneares com desaconselhamento ou interdição têm classificação excelente, pelo que devem ter sido esporádicos os motivos que levaram à situação.

Da lista de 53 praias classificadas pela associação como de “zero poluição” (sem qualquer contaminação detetada nas últimas três épocas balneares) apenas uma teve “problemas significativos” este ano.

//Lusa e redação//

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *