Primeira edição do V21 Rural ajudou a lançar oito negócios

11/10/2021 18:33

A primeira edição da V21 Rural terminou no passado dia 7 de outubro, na Incubadora de Base Rural, em São Pedro de France, com a apresentação dos oitos projetos finalistas.

Todos os envolvidos consideram, unanimemente, que o programa, promovido pela Vissaium XXI e pelo Município de Viseu, foi o empurrão necessário para seguir em frente, perspetivando-se, agora, negócios de sucesso.

Para o Diretor da Vissaium XXI, Sérgio Lorga, esta iniciativa «é a oportunidade para testarem a sua motivação, a ideia de negócios e o mercado», sublinhando que este foi apenas o primeiro passo e que, agora, é necessário manter a cadência.

João Paulo Gouveia mencionou a enorme taxa de mortalidade nos negócios rurais nos primeiros cinco anos, defendendo que este tipo de programas é crucial para aumentar a taxa de sucesso, e que deveriam até mesmo ser obrigatórios em «todos os projetos de instalação de jovens agricultores». O vice-Presidente da Câmara Municipal de Viseu refere, ainda, que o Viseu Rural, no qual este programa se insere, é para continuar ainda com mais força no futuro.

O balanço positivo foi, também, enfatizado pela Presidente da Câmara de Viseu, Conceição Azevedo, salientando que «não pode haver melhores resultados do que ver negócios no terreno e com provas dadas. É sem dúvida um contributo muito positivo para fixar pessoas na nossa região». 

José Martino, CEO da Ruris, que acompanhou todo o processo, defende que a incubadora é muito mais do que «um espaço imobiliário» e que, com o V21 Rural, vem dotar os empreendedores de um conjunto de competências, apostando, dessa forma, nos seus projetos e, simultaneamente, contribuindo para a «criação de postos de trabalho e valor acrescentado para o território».

Proximidade, entreajuda, trabalho de campo, e acompanhamento personalizado foram os pilares do programa V21 Rural que ajudou a tirar oito ideias da papel.

«Quando integrei o projeto havia apenas uma ideia muito vaga. Todas as ferramentas foram construídas aqui. Sem o V21 Rural não seria possível», explicou Lídia Marques, uma das oito finalistas, que promete levar os melhores produtos endógenos de Viseu ao mundo.

Já a empreendedora Ângela Santos, que hoje avança com um sonho antigo, pintando vasos personalizados, revelou que «não tinha ideia de como transformar a ideia num negócio».

Também Catarina Mesquita que se lançou numa plantação de medronheiros, garante que «todo o tempo perdido neste projeto foi ganho com a aquisição de novos conhecimentos que lhe permitiram construir uma outra visão no mundo dos negócios». 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *