Mangualde e Nelas recebem 1º ciclo de espetáculos da iniciativa “ALTAMENTE”

28/03/2022 15:35

Inserido no Alto Mondego Rede Cultural, o primeiro ciclo de espetáculos da iniciativa “ALTAMENTE” realiza-se entre os dias 02 e 23 de abril, nos concelhos que compõem esta rede – Fornos de Algodres, Mangualde, Gouveia e Nelas.

Em Mangualde o espetáculo acontece no próximo domingo, 3 de abril, pelas 21h00, no Largo Dr. Couto. Já o de Nelas realiza-se a 23 de abril, pelas 21h30, no Paço dos Cunhas.

Este é um projeto intermunicipal, onde o mote é a música e os grandes protagonistas são as associações culturais do território. As coletividades são desafiadas a cooperarem e a explorarem novos caminhos artísticos, a partir da identidade e tradições destes quatro concelhos, através da música

Um projeto cultural itinerante, que envolve mais de cinquenta elementos da comunidade, coordenado pelos músicos Bitocas e Artur Fernandes.

O primeiro ciclo de espetáculos, que junta os participantes de Mangualde e Nelas, decorre em abril. O segundo, que junta Gouveia e Fornos de Algodres, está previsto para junho.

De acordo com a autarquia mangualdense, a entrada do evento, realizado naquele concelho, é gratuita, mas com lotação limitada a 150 lugares sentados, pelo que a aquisição de bilhetes é obrigatória. Os interessados podem reservar os bilhetes na Biblioteca Municipal e/ou na Papelaria Adrião.

«Uma história contada pelo som» é assim que Bitocas Fernandes resume o espetáculo que está a ser criado. Salientando que não vai faltar «surpresa, criatividade, ludicidade, casualidade, espontaneidade e estímulos sonoros» e em que a música chega «de forma não convencional» e desafia a «interatividade entre diferentes músicos e público».

Artur Fernandes refere que o ALTAMENTE «representa simbolicamente o confronto e a interação das culturas e suas fronteiras nas diversas fases da relação com o desconhecido: a estranheza, o confronto, a curiosidade, a fusão, a partilha e a miscigenação de saberes». Acrescentando que a recolha de material para a conceção do espetáculo começou no território, «O recurso à tradição envolve repertórios, instrumentos e práticas musicais, objetos do quotidiano com aptidões sonoras, lengalengas e trava línguas e outras práticas orais de comunicação», adianta Artur Fernandes que acrescenta que o processo criativo passou por «a partir de novos contextos criativos abordar estes conteúdos da tradição e, simultaneamente, propor novas formas de lidar com as ideias musicais, sem preconceitos».

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.