Lamego: Agente da PSP acusado de tentativa de homicídio e violência doméstica

10/03/2022 11:23

O Ministério Público (MP) acusou o agente da PSP suspeito de ter disparado uma arma em direção à companheira, em Lamego, em setembro do ano passado, dos crimes de tentativa de homicídio e de violência doméstica.

Numa nota do MP é referido que o homem está acusado, como autor material, «de um crime de homicídio qualificado na forma tentada, agravado por uso de arma de fogo, de um crime de violência doméstica agravado e de um crime de detenção de arma proibida».

«Os factos remontam ao dia 6 de setembro de 2021 e tiveram lugar no interior da residência comum» da vítima e do arguido, após uma discussão e depois de a vítima ter comunicado ao agente da PSP «que pretendia pôr termo à relação que os unia», pode ler-se.

É avançado, na acusação, que o arguido, «após destruir vários objetos que se encontravam no interior da habitação, munido de uma pistola semiautomática, efetuou um disparo na direção da cabeça da vítima, visando atingir órgãos vitais e causar-lhe a morte».

O inquérito foi dirigido pelo Ministério Público do Departamento de Investigação e Ação Penal da Comarca de Viseu, sendo que o arguido continua a aguardar julgamento em prisão preventiva.

Em setembro do ano passado, a PSP avançou que os polícias que se deslocaram ao local «depararam-se com um contexto enquadrável como violência doméstica, tomando de imediato as medidas necessárias a assegurar a proteção da vítima» e que o casal «não tinha qualquer registo anterior de violência doméstica».

Após o disparo, «o suspeito ausentou-se, deixando a companheira na residência», referiu a PSP, tendo sido localizado posteriormente e os polícias conseguiram «demovê-lo de qualquer outra intenção que não fosse entregar-se» e «entregar as duas armas que tinha na sua posse».

Ainda antes de as medidas de coação terem sido conhecidas, a PSP de Viseu anunciou que, «internamente, foi aberto um procedimento disciplinar e decretado o seu desarmamento e suspensão provisória de funções policiais».

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.