Dádivas de sangue em queda na última década

16/07/2021 20:01

O número de dadores e de dádivas de sangue tem vindo a diminuir na última década. O número de dadores caiu 55% em comparação com 2010 e houve menos 131 mil dádivas. Apesar de diminuição, o número de primeiros dadores cresceu face a 2019.

Os dados dos relatórios de Atividade Transfusional e do Sistema Português de Hemovigilância revelam que, em 2010, mais de 293 mil dadores fizeram 419 574 dádivas. Dez anos depois, registaram-se 287 958 dádivas, realizadas por 188 601 dadores.

O relatório anual diz que “mantém-se a tendência” de queda, agora “agravada pela situação pandémica covid-19”. “A proporção de dadores de primeira vez sofreu, no entanto, uma inversão relativamente à tendência verificada nos últimos anos, com um aumento na proporção de dadores de primeira vez de 1,9% (14,33% do total de dadores) em relação ao ano anterior”.

Em 2020, registaram-se menos 22 mil dádivas de sangue, uma queda de 7% em relação ao ano anterior. O número de dadores ativos também diminuiu em comparação com 2019: há menos 12 mil.

Segundo o Jornal de Notícias, a Presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST), Maria Antónia Escoval, apela aos portugueses a que façam doações antes de irem de férias, devido à retoma da atividade programada nos hospitais públicos.

Em média, são necessárias cerca de 1 000 unidades de sangue todos os dias nos hospitais portugueses. Por outro lado, os componentes sanguíneos têm um prazo de armazenamento que pode ir de 5 a 42 dias. 

Fonte: Jornal de Notícias

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *