COVID-19: Esteja atento às burlas

20/03/2020 13:52

Em todas as calamidades que vão acontecendo pelo mundo, há sempre quem queira aproveitar-se e tirar proveito dos mais fragilizados.
Várias mensagens têm sido veiculadas nas redes sociais para alertar a possíveis burlas que possam acontecer durante este período.

Uma dessas mensagens refere a aplicação Covid-19 Tracker que se apresenta como uma ferramenta para acompanhar a evolução do estado epidimiológico no mundo. No entanto, a aplicação bloqueia o seu dispositivo (telemóvel ou tablet) de forma a pedir um resgate em bitcoins para que possa recuperar os seus dados.

“Apesar do período de contenção social e de excecional sensibilidade que vivemos, o CNCS alerta para que não instale esta app”, lê-se no aviso, publicado na página de Facebook do organismo, que pede que lhe seja reportado qualquer incidente relativo à instalação desta aplicação. Basta contactar a CNCS através do email cert@cert.pt e às autoridades criminais.

A Guarda Nacional Republicana também tem estado atenta a este problema e já alertou através das redes sociais que existem falsos profissionais de saúde e de operadoras de telecomunicações a tentar burlar os mais vulneráveis.

“Os métodos utilizados passam por, de forma credível, bater à porta das vítimas fazendo crer que, no âmbito da situação vivida no nosso país, são profissionais de saúde e que pretendem rastrear os idosos quanto ao COVID-19 ou, noutros casos, a dar conta da oferta de serviços de telecomunicações. Em ambos os casos, os idosos acabam por ser vítimas de furto. Neste sentido, alertamos que nem os profissionais de saúde, nem os funcionários das operadoras de telecomunicações se dirigem a casa dos cidadãos“, diz o comunicado da GNR na sua página de Facebook.

Também a DECO já se pronuciou acerca destas práticas, alertando os cidadãos para que não se deixem enganar. Segundo a defesa do consumidor, os autores destes estratagemas aproveitam-se do facto de muitas empresas e organismos do Estado comunicarem com os utentes e consumidores, para tentarem espalhar mensagens fraudulentas no meio de outras emitidas por fontes fidedignas, utilizando muitas vezes, as comunicações oficiais para replicar e utilizar nestes esquemas, que chegam aos consumidores através de SMS ou WhatsAPP. A DECO deixa ainda o aviso para ler de forma atenta todas essas mensagens e não carregar nos links apresentados.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *