Confinamento levou ao aumento da miopia entre os mais novos

18/06/2021 12:26

Os confinamentos decretados devido ao novo coronavírus fizeram disparar os problemas de miopia entre crianças de todo o mundo. A conclusão é da Organização Mundial de Saúde, que se baseou em investigações na China, no Canadá e em países da América do Sul. Nos jovens entre os 15 e os 18 anos, a miopia cresceu 40%, de 2019 para 2020, altura em que começou o confinamento. A OMS estima que metade da população seja afetada por este problema em 2050.

Este aumento deve-se principalmente à falta de luz natural que leva à perda de dopamina, um neurotransmissor que evita a dilatação da retina e ajuda a prevenir a miopia. 

A exposição a ecrãs de computadores ou telemóveis, que também aumentou ao longo do último ano, está relacionada com alguns sintomas, como secura ocular, fadiga, cansaço visual ou dor de cabeça. Mas, ao contrário do que os cientistas pensavam, não tem qualquer relação com a miopia.

A miopia trata-se de um problema de visão e caracteriza-se, geralmente, pela dificuldade em ver ao longe e pela falta de nitidez dos objetos mais distantes.  Fadiga ocular (“vista cansada”), dores de cabeça e o semicerrar dos olhos para ver melhor são alguns dos sinais e sintomas mais frequentes associados à miopia.

Fonte: TSF

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *