ARTIGO DE OPINIÃO: Saúde Global

06/10/2021 19:30

As tecnologias digitais proporcionam, em instantes, o acesso a conhecimento (de qualidade ou não) através da internet. O vulgo Dr.º Google permite aceder tanto a conhecimento de qualidade como a informações duvidosas. Não obstante, informação é poder e uma população informada é uma população empoderada.

Como informar devidamente a população?

A Fundação Gapminder tem desenvolvido ao longo dos anos um trabalho importante na divulgação de informação de qualidade e empoderamento da população. Sobre saúde global, tem abordado temas desde a percentagem de população vacinada à esperança média de vida. O aumento da consciencialização, usando informação credível, é determinante para que todos/as possam tomar a melhor decisão possível em relação à sua saúde.

Pode uma decisão pessoal afetar a saúde individual e saúde coletiva?

Sim. Por exemplo, um fumador pode afetar a saúde de outras pessoas quando fuma perto delas. A inalação do fumo expelido por fumadores é prejudicial para as pessoas e para o ambiente. A deterioração do ambiente afeta todas as pessoas e assim a saúde global fica comprometida diretamenta, pela inalação de fumo, e indiretamente, pela deterioração do ambiente.

Como aumentar a consciencialização da população para a importância da saúde global?

Vivemos num mundo que apesar de girar a uma velocidade constante (1674 km/h), a sociedade, em particular digital, vive num frenesim. Já se questionou se a sua perspetiva do mundo é a mais atualizada? O que sabe sobre saúde global? Instituições como a Organização Mundial de Saúde (OMS) partilham frequentemente estatísticas sobre os vários países no mundo que permitem ter uma visão sobre o estado da saúde global no mundo. Estas informações permitem perceber o estado da saúde global e comparações com estatísticas de anos anteriores permitem concluir sobre a evolução da saúde global e das condições de vida. Por exemplo, sabia que a percentagem de sobrevivência (5 anos pós receberem o melhor tratamento) de pessoas diagnosticadas com cancro antes dos 20 anos aumentou de 58%, em 1975, para 80%, 2010? E que a percentagem de crianças com 1 ano de idade que receberam pelo menos uma vacina passou de 22% em 1980 para 88% em 2016?

Qual o papel que cada um pode ter na promoção da saúde global?

A partilha deste tipo de informação é um desafio. Hans Rosling, médico e fundador da Fundação Gapminder que viveu até 2017, questionou várias pessoas de vários países sobre questões globais e verificou que a visão delas sobre o mundo não era a mais atualizada partilhando com elas as mais estatísticas mais recentes sobre o mundo. Este exercício permitiu, por um lado, saber o conhecimento das pessoas sobre o mundo e, por outro lado, despertar a consciência delas para o mundo em que vivem naquele momento.  As escolas e universidades, bem como os meios de comunicação social, desempenham um papel fundamental na partilha de informação relevante e credível. Contudo, num mundo com tanta informação cabe a cada um de nós filtrar o que importa e partilhar o conhecimento.

O mundo é de todos e a saúde global depende de cada um de nós. 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *