ARTIGO DE OPINIÃO: Que cuidados devemos ter com a nossa voz?

16/04/2022 18:00

A propósito do Dia Mundial da Voz, que se assinala a 16 de abril, pretende-se chamar a atenção para os cuidados a ter com o melhor instrumento de comunicação da humanidade. 

A voz é o som produzido pela vibração de dois pequenos músculos chamados cordas ou pregas vocais, pela passagem de ar expelida pelos pulmões. Muitas outras estruturas participam na produção da voz como sejam a língua, os lábios, o palato mole e duro, os dentes, as cavidades dos seios perinasais, entre outros.

A voz além de ser o modo de comunicarmos com os outros também serve para mostrar o nosso estado de espírito e as nossas emoções. O tom da voz pode assim demonstrar se estamos contentes ou preocupados, zangados ou tranquilos.

A nossa voz é tão importante que direi que quase todos nós, somos mais ou menos profissionais da voz. Quase todos dependemos da voz para trabalhar. Como tal, temos de adotar medidas para a preservar: evitar gritar, beber muita água – a água hidrata o corpo e lubrifica as cordas vocais – ter uma alimentação saudável e evitar alimentos picantes.

Devemos, ainda, evitar ambientes poluídos sabendo nós que o principal fator que prejudica a voz e com consequências mais gravosas é o tabaco. Este é sem dúvida o que provoca mais danos. O tabaco é destacadamente o maior fator de risco no surgimento de cancros da laringe. Associado ao tabaco, o mau cuidado dentário e o consumo excessivo de álcool, é uma tríade imparável na formação de tumores malignos da laringe.

As alterações benignas da voz surgem, principalmente, por má colocação da voz ou também por lesão das cordas vocais provocadas pelo refluxo gástrico ou por corrimentos posteriores do nariz, sobretudo, nas sinusites. Além do tratamento medicamentoso destas patologias a terapia da fala é de extrema utilidade.

Casos há de nódulos ou pólipos das cordas vocais para os quais poderemos ter de recorrer à cirurgia. Também nestes casos a terapia da fala é muito útil para que se resolva as alterações de colocação de voz no pós-operatório. 

Curiosamente, na minha experiência, a profissão que recorre ao Médico Otorrinolaringologista, com mais frequência, por anomalia das cordas vocais são os Educadores de Infância e auxiliares de educação do pré-escolar, o que denota um uso excessivo da voz.

É importante que qualquer rouquidão que persista, mais do que 15 dias, seja avaliada por médico especialista em otorrinolaringologia. A maioria das situações têm cura fácil quando diagnosticadas e tratadas atempadamente. Nunca é demais relembrar que o diagnóstico, tratamento e a reabilitação destes casos deve ser feita precocemente e por uma equipa multidisciplinar com experiência em doenças da voz. 

Esteja atento e cuide bem da sua voz. 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.