ARTIGO DE OPINIÃO: Mais Papistas que o Papa

16/07/2021 19:30

Vamos lá a ver.. Usem-se as máscaras! Façam-se os testes necessários! Vacinem-se as pessoas! Promova-se a responsabilidade social, cívica e moral. Sim, senhor. Mas, por favor, não parem a vida! 

Os agentes culturais não podem e não vão conseguir estar mais tempo aprisionados nesta bolha de contenção eterna que, como se não bastasse todo o antes, agora, ainda tem de se ajoelhar sem respirar à ridícula demagogia dos interesses politico-partidários, quando em causa estão as eleições de setembro. Estamos todos em stand-by… Nós todos! Não apenas nós, a Cultura. Todos. Amanhã sabe Deus o que somos hoje. E hoje já não estamos onde achámos ontem que estaríamos. Basta recuar um ano e lembrar como era, o único lugar-comum que temos atualmente é esta roleta em que se tornou a vida. Mas não podem ser os políticos locais a definir o que se pode ou não pode fazer “para eleitor ver”, quando, na roleta das suas decisões eleitoralistas está a vida cada vez mais frágil de quem não consegue trabalhar há tanto tempo que já nem o tempo se lembra. 

Existem regras estabelecidas de contenção e outras de permissão e se umas devem ser cumpridas, outras devem ser usadas, consoante o caso. Se, na maioria dos casos, os espectáculos culturais podem ser levados a cabo até às 22.30h, então que se façam, cumprindo todos os pressupostos de segurança sanitária salvaguardados. Não se escusem atrás de um medo fictício, só porque se avizinham as vossas eleições e se querem evitar as tais polémicas que, afinal, até podem não o vir a ser.  É manifestamente calculista e muito pouco abonatório para quem tem a obrigação de incentivar a cultura; é ajudado financeiramente para o fazer na totalidade através de fundos europeus de financiamento a 100% e tanto recorre a ela quando dela necessita para puxar dos galões. Por isso, em vez de se cancelarem ou adiarem eventos legalmente possíveis de realizar, incentive-se a sua realização, com responsabilidade social, moral e cívica. Provem que a #actulturaésegura, tirem o fato de domingo do armário, sacudam-lhe o pó, calcem sapatos de pele polida, apertem os vossos calos com jeitinho e deixem trabalhar os artistas e suas estruturas técnicas. O mais certo é correr tudo tão bem que ainda vos vai levar ao sorriso fácil à saída das urnas. Abra-se de uma vez por todas a janela da Esperança para ela respirar fundo e acendam-se os archotes da fantasia, para que a política do medo e o medo da política não travem outra vez a alegria da festa e magia. 

Não sejam mais papistas que o Papa.

Se pode fazer-se …Faça-se! O povo já merece sorrir, caramba!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *