ARTIGO DE OPINIÃO: A Nossa Casa

08/04/2022 19:30

0,5% de IRS. Vale o que vale. Vale a vontade de querer ajudar. Vale a mão estendida a uma causa a que não se é indiferente. Vale o querer ser um pouco mais do que só isto de ser um dia depois do outro. Vale 0,5% do nosso ano passado que queremos que ajude a chegar ao futuro.

—————————————————————————————————

Lembro-me bem do burburinho da altura. “Vem aí uma casa só para artistas”, dizia-se. Uns incrédulos, outros convictos. Aqueles, de olhos esbugalhados, e estes, de punho cerrado, a bater na mesa do “Vai Acontecer!!”. Mas todos expectantes. E eu imaginava um edifício de luz na ribalta; janelas com cortinas régias escancaradas para a vida, como antigos camarins atarefados de talento; um pequeno jardim de romântica ternura a afagar os dias; salas grávidas de mil histórias partilhadas, vividas, sorridas, choradas e tantas, tantas vezes aplaudidas. E um teatro! Onde tudo continuasse… Todos os dias. A lembrar o Armando, o Raul, a Manuela, a Carmen, o Otávio e todos os outros que, naquele tempo, de punho cerrado, bateram na mesa do “Vai Acontecer!”. E aconteceu! Há 20 maravilhosos anos! Um lugar para aqueles que, feitos desse mágico pó de palco, nascem nesta vida com esse dom maravilhoso da tradução do sonho. Que representam, dançam, cantam, tocam, pintam, esculpem, olham, veem, falam e mexem-se, através de um caleidoscópio fabuloso que, quando partilhado connosco, nos faz explodir asas no corpo. Aqueles que, de olhos bem abertos, teimam em sonhar. Que, de pés bem na terra, teimam em voar. Únicos, mágicos e, um por um, insubstituíveis.

Saber hoje, 20 anos depois, esta Casa do Artista tão cheia de vida e este Teatro Armando Cortez tão cheio de palco, faz-me pensar nas palavras do Raul sobre a convicção do Armando: “a vida tem que ser uma paixão substancial e constante.” 

A todos os que hoje, de punho cerrado, continuam a bater na mesa para que, nós, os artistas, possamos “num nosso dia”, querer entrar por esta porta com a mesma dignidade com que, pela primeira vez, pisámos as tábuas de um palco qualquer… a vocês todos, e em especial, à minha querida Manuela Maria: Parabéns! E obrigado! Muito, muito obrigado!*

*Texto escrito por ocasião do 20º aniversário da fundação da Casa do Artista. Apoie esta causa!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.